15 dezembro 2006

10 dezembro 2006

Cambada de burros...

É lindo ver a romaria que se tem deslocado à Costa da Caparica para constatar o avanço do mar.
Imperdível, a ligeireza com que os mirones ignoram a fita de protecção colocada pelas autoridades.
Em boa verdade o vulgar cidadão não só despreza todo o tipo de autoridade como também ignora todo o tipo de proibições. E com razão.
Quem não se lembra da célebre "Tolerância Zero" das estradas portuguesas?! Aquelas onde a lei era mesmo para cumprir? Nas outras era à vontado do freguês...
E as recentes alterações ao Código da Estrada?! Acho que durou para aí 15 dias.
Proibido falar ao telemóvel quando se conduz. É para levar a sério?!!
Estou em crer que a importância das pessoas se ve pelo grau de avontade com que prevaricam. Só os caguinchas e zés ninguém receiam falar ao telemóvel ou estacionar indevidamente, entre outras tropelias.
Tudo isto seria divertido, se conseguisse assistir a todos estes diários e incessantes desmandos, pacificamente.

07 dezembro 2006

PT comunicações

Este post não tem conteúdo, propositadamente.

Coisas cá da urbe!!

Aos primeiros pingos de chuva, andam estes tontinhos a ameaçar que vão é para o Brasil.
Vão e fiquem por lá.
Está na moda ir ao Brasil varias vezes por ano. É bem.
Se soubessem onde é a repartição de finanças, pagassem aos funcionário das suas empresas e adiantassem algum aos fornecedores, que estão quase falidos, quando muito iriam até Aveiro. De automotora!!
Curtam a chuva, tótós...

Está por um fio...

A vingança está prestes a começar. Hoje gramei 500's horas de conversa da treta. Sem escapatória possível.
Positivo: Descobri que consigo estar calado em 7 idiomas.

06 dezembro 2006

Que Raiva!!!

É uma grande chatice não ter tempinho para nada. Dassss...
Um destes dias vou começar a não ter tempo para terceiros e aposto que passarei a ter tempo para mim. A maioria das pessoas que me dirigem a palavra são chatas e debitam inutilidades incessantemente. Por uma questão de educação (ou será parvoice pura?!) ouço-as. Geralmente no final do carpir dos rosários sinto-me completamente tótó por não lhes ter virado as costas e desaparecido. Este estado de coisas vai mudar. Ai se vai!!!!