16 janeiro 2008

SEM DISCUSSÃO POSSÍVEL

Não há contestação possível à afirmação de que Paula Rêgo é uma artista de mão cheia e uma referência incontornável. Presente e futura.
Quem não tiver a capacidade de apreciar o seu trabalho tenha o mínimo de bom senso para se calar e não disparar atoardas ignóbeis.
Era só o que faltava a obra da senhora valer pela bitola de uns quantos artolas que pensam saber avaliar arte.
Vão mas é "abaloar" automóveis para os "setanderes" à beira da estrada e discutir lances de bola parada.
Mai nada.

7 comentários:

Mofina Mendes disse...

O Sr. Engenheiro é de Letras?

Então cale-se também!

Mandela disse...

tou com dor de burro!

Rei da Lã disse...

Apoiado!

Funes, o memorioso disse...

Ora, Ora,

A Paula Rego não vale metade do seu primo Arlindo.

Anónimo disse...

Oh Sr. JG o mê rico menino, qui anda a dizer que estuda lá pós Lisboa, ele diz que pinta umas coisas sem lápis di cori, eu mai o mê Adozindo iundo na vimos nada, mas que o moiço trais um dinheirito pró pai cumprar umas ovelhitas isso és verdade, agora se ele se assina Paula Rêgo, isso nã sei, que ele foi registrado como Paulo da ti maria do rêgo, isso foi, mas eu nã sou nem ingenheira como o nosso primeiro, nem letrada como voicemessê.
Olhe cá me fico, cando me minino cá vieir eu perguntu-lhe.

Capitão Merda disse...

Ainda muito caladinho, o JG...

jg disse...

MOFINA:
Que lindo...

MANDELA:
Batoteiro.

REI DA LÃ:
É assim mesmo!

FUNES:
A diferença está toda no "do".

ANÓNIMO:
Em que é que ficamos é "minino" ou "menino"?!

CAPITÃO:
Cada um tem a sua patroa!!