08 outubro 2008

TELETERAPIA

Em alternativa à Cavalia há as tardes da Júlia.
Pinheiro.

O fiar de desgraças e de anormais, compete com qualquer bizarria deste e do outro mundo.
Hoje, era um par de homossexuais, vulgo paneleiros, com a particularidade de serem Testemunhas de Jeová.
Registei, em particular, o telefonema de uma mãe babada, de 70 e picos anos, que testemunhava o seu orgulho e felicidade por ter um marmanjão dum filho que se meteu na droga assim que o pai morreu (há 40 anos) por ser seropositivo, por ser homossexual, por se ter juntado com um judeu que para além de ser igualmente paneleiro também era rezingão.
E aborrecia-a o facto da filha mais velha não comungar da felicidade e da glória do irmão.
"Foda-se!!"

7 comentários:

Dalaila disse...

é caso para dizer que só faltava ser escuteiro!

maria mazona disse...

Bailhamadeus!!! E tu não tens mais nada que fazer, meu marmanjão? Só falta dizeres que também te enrolaste ontem à noite com a Guilherme. Homem, vai-me mas é ler o Memorial do Convento. Garanto que não dói tanto!

DD disse...

Concordo com o comentário final do JG.
I-Phoda.se

Sardanisca disse...

Lembro-me de,teria eu 25 anos,ser abordado por uma senhora jeová(não sei se era lésbica)que queria insistentemente alertar-me para os perigos da masturbação.

Mofina Mendes disse...

Foge, se não tens mesmo nada para fazer, vem pastar comigo. Quer dizer, mais as minhas ovelhas.

Capitão Merda disse...

Deixe-os poisar, JG!
Desde que não chateiem...

jg disse...

DALAILA:
E não sei se seri. Mas a mão teria tido vergonha!

MAZONA:
Credo!!

DD:
Assim, sim!

SARDANISCA:
O que ela queria, sabemos nós!!

MOFINA:
Prefiro as "postagens"!

CAPITÃO:
Não é certo que não chateiem!