05 junho 2007

NÃO É NADA DO QUE ESTÁS A PENSAR!!!




Acho deliciosamente maquiavélica a designação que atribuem, regra geral, à vítima de infidelidade conjungal, na versão masculina: "Corno"
.
Teorias mil seriam consideradas sobre a origem do atribuido galardão. No entanto, numa pincelada de cruel originalidade, costumam acrescentar, perante a pacificidade do enfeitado, o adjectivo "Manso".
O somatório dos termos dá o indizível "Corno Manso"
.
Vem tudo isto a propósito de um
comentário produzido pela TR no blog do FUNES onde nos informa que a melhor sopa de, imagine-se, "portulacas" se come em São Mansos.
Lá, em São Mansos, todos os "cornos" o são.

7 comentários:

jorge c. disse...

Ah! Estava a ver que nunca mais escrevia estas suas reflexões de altíssimo nível!
Bravo!

Anónimo disse...

E que nome se dará à versão feminina?!!!
Corna?
Ou simplesmente, não existe essa versão?
Agora deixou-me a pensar, deveras, nesta questão.

jg disse...

JORGE:
Tem dias. Como o relógio do Ferreira!

ANÓNIMO:
Não há versão feminina.
Os homens são, sem excepção, absolutamente fieis às suas companheiras.
Um caso raríssimo entre seres vivos.
Por isso, minha querida, não precisa de pensar muito sobre o assunto.

GRaNel disse...

Também, de gajos que comem sopa de portulacas não se pode esperar muito...

M. disse...

As teorias que se podem tecer sob o manto de uma pseudo integridade moral.
Pézinho a puxar pra xinela.
Até pra se ser corno é preciso ter pinta.

dass disse...

Grande sentido de humor!

jg disse...

GRANEL:
Não é preciso bater no ceguinho. Já lhe basta gramar com a sopa!

M:
É preciso ter pinta para ser corno?!!! Essa não me passava pelos cornos.

DASS:
Mas eu tenho carta!!