20 julho 2007

Políticos, Palhaços e a PQP


Não tenho memória de ter visto (refiro-me à TV) político, governante ou qualquer indivíduo com responsabilidades sobre a condução do povinho, falar de forma clara, compreensível e séria.
Embrulham, enrolam, mastigam e regurgitam frases feitas e, sobretudo, obedecem ao compasso e à batuta do moderador/entrevistador.
É essencial não debitar asneiras que comprometam, pensam todos.
Se me convidassem para participar num desses espectáculos, correndo o risco de nunca mais lá voltar, era certo e sabido que à primeira oportunidade que me retirassem a palavra, depois de me a terem dado, ou me provocassem para eu dizer o que lhes convinha em vez do que eu pensava, alçava o rabinho e deixava-os a falar sozinhos. Não sem antes os encomendar.
Este é, naturalmente, um dos perigos dos directos.
Mas, para ver palhaços em directo e divertir-me, prefiro ir ao circo.
Aos que aparecem na TV, não lhes acho graça alguma.

9 comentários:

GRaNel disse...

Eu prefiro mudar de canal. No outro dia disseram-me quanto custava um bilhete de circo e fiquei quase sem ar...

Taxi Driver disse...

Não há pachorra mesmo!

jg disse...

GRANEL:
Um gajo muda de canal mas eles não deixam de debitar enormidades. Deviamos ter um comando para que quando os gajos se excedessem nos disparates levarem uma baldada de água fria.

TAXI:
Massacram-nos, aqueles sacanas!!

Capitão Merda disse...

Chamar palhaços aos senhores doutores?!
Ainda vai dentro, JG...

jg disse...

É aos "Anjinheiros" que não podemos chamar nomes, capitão.

Mofina Mendes disse...

Ainda bem que se abordar esse problema. Há cinco ítens que importa salientar. Por isso, agradecia a máxima atenção:

1º É sexta-feira.
2º Julho.
3º Falta pouco para o Natal.
4º Os palhaços têm nariz vermelho.
5º Sobre os parquímetros não me pronuncio.

Querem que repita. Não admito que deturpem as minhas palavras!

jg disse...

MOFINA:
Sem erros, já seria difícil perceber-te.

Marreco disse...

Eheheheheh...
Ora bem...(nem sei por onde começar!)
Folgo em saber que o meu amigo ainda se dá ao trabalho de assistir, ainda que esporadicamente, a esses debates em directo de respostas combinadas, para enganar tolos.
Pessoas como o meu amigo, não interessam aos programas em directo, porque, tal como eu, se um dia auferissem dessa possibilidade seria para desmascarar alguns desses "valentes" escroques, que se dizem "governadores" deste país.
Correndo o risco sério de ser preso ou processado, quiçá, reafirmo que estamos a ser conduzidos (sem previsão de melhoria) por uma classe de indivíduos, formados logo a seguir ao 25 de Abril, com passagens administrativas, sem terem sido responsabilizados, alguma vez.
Façam as contas e vejam se não bate certo!
Como é que vamos responsabilizar esta "gentinha" que não tem moral nem escrúpulos?
Só há um remédio: rezar para que morram e, preferencialmente sem deixar descendência...
Já chateiam, é um facto. Quando há uns tempos disse que só gostava de ler jornais com uma semana de atraso...eheheheh, continua a ser assim! "Cago-me a rir" com tanta mentira!!!
Volto a dizer: O 25 de Abril era necessário, mas da forma como foi feito, para engordar umbigos de alguns, fez muito mal a este país!
O sistema "pidesco" de antigamente continua, só que desta vez muito mais camuflado.
Pena tenho de não conseguir deixar de ser honesto e cumprir com as minhas obrigações de cidadão português: estaria muito melhor na vida, não tocava em alcatrão nem tinha uma carroça Volvo com 200 anos!
enfim...

jg disse...

MARRECO:
Considera-te desde já um não alinhado da frente revolucionária.
Quado tivermos que marchar sobre a cambada que referes, e bem, como escroques que se proclamam governantes, tens que nos dar cobertura aérea com um Apache.